Pages Navigation Menu

Usina de Belo Monte

 

O que está acontencendo: entenda a polêmica em torno da usina de Belo Monte

A Usina Hidrelétrica de Belo Monte é uma obra faraônica que está sendo construída no Rio Xingu, no Pará – em plena floresta amazônica – o lago da usina terá uma área de 516 km² (1/10.000 da área da Amazônia Legal).

Orçado em R$ 16 bilhões, custo da Usina de Belo Monte já supera os R$ 30 bilhões

A Hidrelétrica de Belo Monte, no Pará, foi orçada em R$ 16 bilhões, leiloada por R$ 19 bilhões e financiada por R$ 28 bilhões. Quase dois anos depois do início das obras, o valor não para de subir.

Quais serão os impactos da Usina de Belo Monte?

A construção da hidrelétrica irá provocar a alteração do regime de escoamento do rio, com redução do fluxo de água, afetando a flora e fauna locais e introduzindo diversos impactos socioeconômicos. Um estudo formado por 40 especialistas e 230 páginas defende que a usina não é viável dos pontos de vista social e ambiental.

Entenda os impactos ambientais de Belo Monte:

Parte 1

Parte 2

A vazão da água a jusante do barramento do rio em Volta Grande do Xingu será reduzida. Esta alteração, segundo os especialistas, altera todo o ciclo ecológico da região afetada que está condicionado ao regime de secas e cheias. A obra irá gerar regimes hidrológicos distintos para o rio.

A região permanentemente alagada deverá impactar na vida de árvores, cujas raízes irão apodrecer. Estas árvores são a base da dieta de muitos peixes. Além disto, muitos peixes fazem a desova no regime de cheias, portanto, estima-se que na região seca haverá a redução nas espécies de peixes, impactando na pesca como atividade econômica e de subsistência de povos indígenas e ribeirinhos da região.

Impactos sociais

O transporte fluvial até o Rio Bacajá (um dos afluentes da margem direita do Xingu) será interrompido. Atualmente, este é o único meio de

Français : Raoni place des droits de l'homme a...

Cacique caiapó Raoni protesta contra a construção de Belo Monte (Image via Wikipedia)

transporte para comunidades ribeirinhas e indígenas chegarem até Altamira, onde encontram médicos, dentistas e fazem seus negócios, como a venda de peixes e castanhas.

De resto, as análises sobre o Estudo de Impacto Ambiental de Belo Monte feitas pelo Painel de Especialistas, que reúne pesquisadores e pesquisadoras de renomadas universidades do país, apontam que a construção da hidrelétrica vai implicar um caos social que seria causado pela migração de mais de 100 mil pessoas para a região e pelo deslocamento forçado de mais de 20 mil pessoas. Tais impactos, segundo o Painel, são acrescidos pela subestimação da população atingida e pela subestimação da área diretamente afetada.

Viabilidade econômica

O caso de Belo Monte envolve a construção de uma usina sem reservatório e que dependerá da sazonalidade das chuvas. Por isso, para alguns críticos, em época de cheia a usina deverá operar com metade da capacidade, mas, em tempo de seca, a geração pode ir um pouco abaixo de 4,5 mil MW, o que somado aos vários passivos sociais e ambientais coloca em xeque a viabilidade econômica do projeto.

A história nos trás exemplos infelizes de como isso pode ocorrer. A construção das usinas hidrelétricas de Tucuruí (PA) e Balbina (AM), as últimas construídas na Amazônia, são mega-obras similarmente desastrosas. Desalojaram comunidades, inundaram enormes extensões de terra e destruíram a fauna e flora daquelas regiões.

A contrapartida, que era o abastecimento de energia elétrica da população local, não foi cumprida. O desastre foi tal que, em 1989, o Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa), depois de analisar a situação do Rio Uatumã, onde a hidrelétrica de Babina fora construída, concluiu por sua morte biológica.

Em Tucuruí não foi muito diferente. Quase dez mil famílias ficaram sem suas terras, entre indígenas e ribeirinhos. Diante desse quadro, em relação à Belo Monte, é preciso questionar a forma anti-democrática como o projeto vinha sendo conduzido, a relação custo-benefício da obra, o destino da energia a ser produzida e a inexistência de uma política energética para o país que privilegie energias alternativas.

(com informações da Wikipedia e Instituto Socioambiental)

 

Últimas notícias sobre a usina de Belo Monte:

Entenda o que são as “condicionantes” de Belo Monte

Posted by on jan 28, 2014 in Artigos, Belo Monte, Destaque home, Meio Ambiente | 0 comments

Texto original publicado pelo Instituto Socioambiental Entenda o que são as “condicionantes” que devem ser cumpridas pelas empresas responsáveis pela usina hidrelétrica de Belo Monte e seu potencial impacto legal. O que são condicionantes? As condicionantes são uma série de compromissos que o empreendedor e o Governo Federal assumiram com o órgão ambiental federal (Ibama) para obter e manter a autorização do empreendimento, garantindo a sustentabilidade ambiental do empreendimento. Quem fiscaliza as condicionantes de Belo Monte? O...

read more

Impactos subavaliados em grandes obras

Posted by on mar 7, 2013 in Artigos, Belo Monte, Código florestal, Meio Ambiente, Parque Indígena do Xingu | 0 comments

  Por Márcio Santilli, coordenador do Programa de Política e Direito Socioambiental do Isa.org.br Publicado originalmente no em O Globo, 05/03/2013.   Infraestrutura é bom e todo mundo gosta. Facilita a comunicação, o transporte, o trabalho, a assistência, o escoamento de produtos. Melhora as condições de vida, o acesso à informação, o processo civilizatório. Os índios apreciam a instalação de poços artesianos que lhes tragam água limpa onde ela está ficando suja, a construção de casas, a abertura de pistas de pouso e de vias de acesso a...

read more

Articulação inédita de indígenas e pescadores promove nova ocupação de Belo Monte

Posted by on out 9, 2012 in Belo Monte, Meio Ambiente, Parque Indígena do Xingu | 1 comment

Publicado por Xingu Vivo Após o não cumprimento de acordos por parte da Norte Energia, ocupação permanecerá até que todas as reivindicações sejam atendidas, dizem indígenas. Por volta das 19h desta segunda-feira (8), cerca de 120 manifestantes  indígenas das etnias Xipaia, Kuruaia, Parakanã, Arara do rio Iriri, Juruna, e Assurini uniram-se aos pescadores, que estão há 24 dias protestando contra o barramento definitivo do rio Xingu (PA), e ocuparam novamente a ensecadeira do canteiro de obras de Pimental para paralisar a construção de Belo...

read more

Nota pública sobre a ocupação do canteiro de obras de Belo Monte

Posted by on set 28, 2012 in Belo Monte, Meio Ambiente, Parque Indígena do Xingu | 2 comments

Xingu Vivo O canteiro da Usina Hidrelétrica de Belo Monte foi ocupado no início da manhã desta quinta-feira por cerca de 400 indígenas, pescadores, ribeirinhos e agricultores contrários à construção da obra devido aos graves impactos ambientais e violações de direitos humanos que marcam o processo de licenciamento do empreendimento. A decisão de ocupar o canteiro de obras foi aprovada coletivamente, em assembleia, por 700 representantes de comunidades locais que participaram de um seminário contra Belo Monte realizado esta semana na cidade de...

read more

Energia renovável: potencial não aproveitado

Posted by on ago 31, 2012 in Belo Monte, Meio Ambiente, Notícias, Primeira página | 0 comments

WWF-Brasil Em um país onde predomina a geração de energia em usinas hidrelétricas, um novo estudo do WWF-Brasil demonstra que seria possível aumentar em pelo menos 40% a participação de três fontes renováveis alternativas — eólica, biomassa e PCHs (Pequenas Centrais Hidrelétricas) nos leilões de energia nova. O estudo, intitulado Além de grandes hidrelétricas: políticas para fontes renováveis de energia elétrica no Brasil (PDF) foi lançada na quarta-feira, 15 de agosto, durante o 8º. Congresso Brasileiro de Planejamento Energético, em...

read more

STF manda retomar obras da Usina de Belo Monte

Posted by on ago 29, 2012 in Belo Monte, Meio Ambiente, Parque Indígena do Xingu | 0 comments

O ministro Carlos Ayres Britto, presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), deu liminar na noite de hoje (27) autorizando a retomada das obras na Usina Hidrelétrica de Belo Monte, no Pará. Na liminar, o ministro suspende os efeitos de decisão da Quinta Turma do Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF1), que mandou interromper as obras no dia 14 de agosto. A decisão de Britto aparece no andamento da reclamação protocolada pela Advocacia-Geral da União (AGU) na última sexta-feira (24). O presidente do STF informa que a liminar favorável...

read more

Belo Monte: respeito à Constituição já!

Posted by on ago 29, 2012 in Belo Monte, Parque Indígena do Xingu | 0 comments

Avaaz.org As obras de Belo Monte foram paralisadas na semana passada, mas agora a Advocacia-Geral da União quer ir direto ao Supremo Tribunal Federal para continuar as obras sem que se respeite a Constituição, que determina que os índios devem ser consultados. Não podemos permitir isso! Na semana passada, uma decisão histórica do TRF1 (Tribunal Regional Federal da 1ª Região) decidiu pela suspensão imediata das obras de Belo Monte porque até agora os índios, que serão diretamente afetados pela obra, não puderam emitir sua opinião sobre a...

read more

Belo Monte – Anúncio de uma Guerra

Posted by on abr 12, 2012 in Belo Monte, Destaque home, Meio Ambiente | 0 comments

Confira abaixo o trailer do documentário “Belo Monte – Anúncio de uma Guerra”: Belo Monte, Anúncio de uma Guerra (CATARSE) from CINEDELIA on Vimeo.   Confira o projeto do documentário “Belo Monte – Anúncio de uma Guerra”. Bancado por doações de internautas, o filme promete ser um dos poucos meios de informação independente sobre Belo Monte.  . “Mais do que um filme, queremos que esse documentário seja um ato político da sociedade, uma luta pelo acesso à informação e pelo direito de participar das...

read more

A força dos ventos

Posted by on abr 11, 2012 in Belo Monte, Destaque home, Meio Ambiente | 0 comments

Por Marina Yamaoka, Greenpeace Brasil Durante o Fórum Brasileiro de Mudanças Climáticas, na semana passada, a presidenta Dilma Roussef deu declarações polêmicas em relação à energia eólica e enfatizou a importância da continuidade dos investimentos em hidrelétricas. Ela afirmou que “para garantir energia de base renovável que não seja hídrica, fica difícil, porque eólica não segura. E todo mundo sabe disso”, e continuou, dizendo que seria necessário usar outros tipos de energia já que “não venta o tempo todo e não tem como estocar...

read more

Os Retrocessos de Dilma na Agenda Socioambiental

Posted by on mar 14, 2012 in Belo Monte, Código florestal, Destaque home, Especiais, Meio Ambiente, Parque Indígena do Xingu | 0 comments

  É triste e irônico imaginar que alguém com a história da presidente Dilma possa ser comparada com o governo militar. Mas foi exatamente esta a acusação feita pelas principais organizações ambientais brasileiras ao afirmar em carta aberta que “o primeiro ano do governo da Presidente Dilma Rousseff foi marcado pelo maior retrocesso da agenda socioambiental desde o final da ditadura militar” (vide carta completa abaixo). Infelizmente, a posição do governo atual em relação ao desenvolvimento do Brasil é – realmente...

read more
Anúnios (via google adsense)